NOTÍCIAS


Associados
 

2016-03-23

White Airways factura 42 milhões e vai contratar mais 120 pessoas


A companhia de aviação White Airways emprega actualmente 324 pessoas e vai contratar, "ao longo do ano", 120 novos funcionários, a maioria dos quais para a nova base que montou no aeroporto do Porto, adiantou ao Negócios fonte oficial da empresa do grupo Omni.

 

É que é já no domingo, 27 de Março, que a White inaugura a ponte aérea Porto-lisboa, ao serviço da TAP, que será servida por 18 frequências diárias. Entre o Porto e Lisboa haverá voos entre as 05:30 e as 21:30 e em sentido inverso entre as 06:00 e as 22:25.
 

A companhia do grupo Omni fechou o último exercício com um volume de negócios de 42,2 milhões de euros e um resultado, antes de impostos, de quatro milhões de euros.
 

"Os resultados que estamos a acabar de apurar para levar à assembleia-geral [marcada para Maio] são fruto de um trabalho que, ao longo de dez anos, permitiu tornar uma empresa com um só avião numa companhia que operou em 2015 com nove", afirma o presidente da empresa, José Miguel Costa, em comunicado.
 

A White Airways gerou 61% das suas receitas fora do mercado europeu e 38% no mercado intracomunitário. Fora da Europa, os contributos surgiram do mercado "charter", da aviação executiva e da prestação de serviços à Ceiba Intercontinental, a companhia de aviação da Guiné Equatorial, para a qual a White assegura, entre outras prestações, uma ligação regular a Madrid num dos seus aviões Boeing.
 

A companhia do grupo Omni opera em três mercados: no "charter", em todos os continentes, com um pico de actividade no Verão; nas ligações de médio curso com aviões ATR (turbo-hélice), que se verificam sobretudo entre cidades da Península Ibérica e Casablanca, em Marrocos; e o mercado da aviação executiva, no qual, com três Airbus 319 ACJ, garante que é dos principais "players" europeus neste segmento de negócio.

 

Para além dos três Airbus 319 e de dois ATR 42-600, a frota da White integra ainda um Airbus 320 e um 310, que trabalham sobretudo no mercado "charter", e, também, pelos Boeing 737 e 777 que se dividem entre o mercado "charter" e os voos por conta da CEIBA.
 

"A White tem a particularidade de ser a única companhia em Portugal que opera em simultâneo aparelhos da Boeing e da Airbus", realça a empresa.
 

Entretanto, "dado o aumento de procura de voos ACMI/Wetlease (voos ‘chave na mão’ em que a companhia fornece aviões, tripulação, manutenção e seguros) que a White Airways tem tido no mercado mundial", a empresa "está também a avaliar a integração nas suas operações de um novo Boeing 767 e de um Airbus 340 que substitua o 310 que tem ao serviço".


Fonte:
Jornal de Negócios 22-03-2016