NOTÍCIAS


Associados
 

2016-07-08

Embraer reforça investimento na OGMA


A Embraer vai reforçar o investimento em Portugal, aplicando 103,6 milhões de euros em Évora e na OGMA, companhia detida em 65% pela empresa brasileira.

 
O investimento de 93,6 milhões de euros na fábrica de Évora já tinha sido anunciado na semana passada por Paulo Marchioto, presidente da Embraer Portugal.
 
De acordo com o jornal brasileiro Valor Econômico, além deste investimento em Évora, a Embraer pretende aplicar mais 10 milhões na OGMA, tendo como objectivo reforçar a capacidade da companhia na manutenção e produção de peças.
 
Um investimento que visa sobretudo reforçar a capacidade de resposta da OGMA no projecto do KC-390, que foi esta segunda-feira apresentado em Alverca e é o maior da aeronáutica portuguesa.
 
O primeiro-ministro, António Costa, elogiou esta segunda-feira a parceria entre Portugal e Brasil que permitiu a construção de uma aeronave da construtora brasileira Embraer com participação da engenharia portuguesa.
 
"Gostamos muito de falar que somos países irmãos. Mas fazemos poucas coisas em que sejamos efectivamente irmãos (...) e este KC-390 é um excelente exemplo de uma realidade efectivamente fruto da parceria entre Portugal e Brasil", vincou António Costa, na apresentação do avião.
 
Quanto ao investimento em Évora, que conta com apoios comunitários de 34,6 milhões de euros, servirá para equipar as unidades para a produção em série dos E2, a nova geração de aviões comerciais E-Jets da construtora.
 
"Os recursos irão para a ampliação das fábricas, para ampliar a área em oito mil metros quadrados e adquirir novas máquinas", afirmou Paulo Marchioto ao jornal brasileiro.
 
Na fábrica de estruturas metálicas, o investimento é de 63,6 milhões de euros, prevendo criar 199 novos postos de trabalho directos e permanentes, 21 deles altamente qualificados, até final de 2018.
 
Na unidade de compósitos, o investimento é de 30 milhões de euros, para criar até meio de 2018, um total de 63 novos postos de trabalho directos e permanentes, dos quais 10 altamente qualificados.
 
As fábricas de Évora contam já com "415 funcionários directos, mais 100 estagiários e à volta de 112 prestadores de serviços", o que corresponde "plenamente aos contratos assinados com o Governo português", aquando da instalação das unidades em Évora, disse Marchioto na semana passada.
 
A Embraer tem duas fábricas em Évora, resultantes de um investimento inicial de cerca de 180 milhões de euros, e um centro de engenharia e tecnologia. A totalidade do que produz é para exportação, a qual, até este trimestre, tinha como destino único a casa-mãe no Brasil.
 

Fonte:
Jornal de Negócios 05-07-2016