NOTÍCIAS


Associados
 

2018-09-27

Esgotamento do aeroporto de Lisboa custa 100 milhões de euros à TAP


Voltou a estalar o verniz entre a TAP e a ANA – Aeroportos de Portugal. O presidente executivo da companhia aérea, Antonoaldo Neves, disse esta quinta-feira que os atrasos no aeroporto de Lisboa estão a custar 100 milhões de euros anuais à TAP só em compensações aos clientes. Já Thierry Ligonnière, presidente executivo da ANA, garantiu ontem no Parlamento que “a infraestrutura aeroportuária [de Lisboa] não cria atrasos nos voos, a não ser quando está a ser usada no limite ou perto do limite da sua capacidade”.
 
Mas Antonoaldo Neves, que falava num painel na IV Cimeira do Turismo Português, não desarma e reafirma que “já estamos a perder para outros países” devido aos atuais constrangimentos. Em vias de receber novos aviões, o CEO da transportadora nacional lamenta não saber com o que pode contar e ter de “mendigar” saídas rápidas. “Anunciámos destinos para os Estados Unidos – São Francisco, Chicago, Washington e também para Montreal. Muito provavelmente, terei de cancelar outros voos para ter estes”, acrescentou.
 
“O investimento é muito bem-vindo”, declara, mas questiona-se: “Em julho do próximo ano, vou ter quantos lugares de estacionamento a mais?”. No mesmo painel, Ligonnière vincou repetidamente a importância do fecho da pista secundária do aeroporto de Lisboa para ampliar os lugares de estacionamento, mas lembra que essa “não é uma decisão da ANA”. Também presente, o presidente da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), Luís Silva Ribeiro, recordou um episódio caricato: “Há umas semanas, recebi um representante dos U2 na ANAC que disse que não ia conseguir fazer a banda sair no final do concerto e que teriam de reduzir seis músicas. Iam dizer a toda a gente que a culpa era da aviação civil portuguesa”.

Fonte:
Dinheiro Vivo