NOTÍCIAS


Associados
 

2019-05-29

Boeing 737 MAX não deve voltar a voar antes de agosto


O diretor-geral da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), Alexandre de Juniac, afirmou esta quarta-feira que a suspensão dos voos com o modelo 737 MAX da Boeing deverá vigorar até agosto.

“Não esperamos nada antes de um espaço entre 10 a 12 semanas para os voos com este modelo regressarem à normalidade. Mas isso não está nas nossas mãos, mas nas mãos dos reguladores”, declarou o diretor-geral da IATA, citado pela Reuters.

Até lá, sublinhou Alexandre de Juaniac, a IATA espera promover uma cimeira que reúna pilotos, reguladores e outros membros da aviação civil para debater os principais problemas do Boeing 737 MAX e ainda medidas para evitar acidentes futuros com este modelo.

As declarações do diretor-geral da IATA surgem cinco dias depois de o diretor da Administração Federal da Aviação dos EUA (FAA), Dan Elwell, ter admitido numa reunião em Washington que o modelo 737 MAX poderia voltar a voar em junho nos EUA.

Inicialmente, a Boeing tinha garantido que mantinha a “total confiança” relativamente às condições de segurança do Boeing 737 Max, explicando que só recomendava a suspensão temporária dos voos com este modelo a nível mundial por “excesso de precaução”.

Mas em março a empresa decidiu suspender todos os voos com a sua frota dos aviões 737 Max, depois de a Administração Federal da Aviação dos EUA ter encontrado semelhanças entre os acidentes que envolveram um avião da Lyon Air e outro avião da Ethiopian Airlines num espaço de cinco meses e que causaram 346 mortos.


Fonte:
Expresso