NOTÍCIAS


Associados
 

2015-11-03

Easyjet sobre o Montijo: "Ninguém pode ser empurrado para fora de um aeroporto"


A posição foi defendida esta terça-feira, 3 de Novembro, pelo director comercial da transportadora aérea, José Lopes.

"A Easyjet sempre deu preferência à operação em aeroportos principais. Essa premissa não está alterada", afirmou durante um encontro com jornalistas. "Iremos continuar na Portela. É aí que os nossos passageiros querem voar", rematou.

Contudo, José Lopes reconhece que o Montijo pode ser uma boa opção. "Montijo sim, mas como alternante a Lisboa. Para permitir que a Portela continue a crescer", justificou.

O responsável acredita que a utilização do Montijo permitiria libertar a pista transversal da Portela, utilizada como solução de segurança, a novas operações. A estimativa de crescimento é entre 40 e 60% com este cenário.

Por agora, o lado sul do Tejo não é prioridade para a Easyjet. "As regras são muito claras: ninguém pode ser empurrado para fora de um aeroporto", acrescentou. A companhia aérea não foi ouvida nas negociações, que se encontram ainda em curso.

A intenção do Governo e da ANA aeroportos é utilizar a base aérea do Montijo como uma extensão do aeroporto de Lisboa, sendo a instalação das companhias low cost nesse espaço uma das vontades.

Na última semana, o presidente da ANA Aeroportos, Jorge Ponce de Leão, informou que ainda não estão definidos prazos para este processo. Aos jornalistas, garantiu que a prioridade é direccionar a "Portela numa operação de hub [plataforma giratória], que não é propriamente a mais desejada pelas low cost".

 

Fonte:
Jornal de Negócios 03-11-2015